RSS Feed

Book trailer - Os livros de Esteros - capa definitiva

Posted by Aldemir Alves da Silva

Boa noite, galera!

Notícia adicionada em 04/07/2012. 

Gente, para aproveitar esse post, já que estou querendo realizar um sorteio do livro no próximo post, vou apresentar-lhes a capa de Esteros; definitivamente finalizada pelo design André Siqueira, como eu disse antes; o melhor capista brasileiro na minha opinião^^ (Fiquem ligados que no próximo post, trarei as regras de como ganhar um exemplar autografado de Esteros, com dedicatórias ao ganhador). Segue abaixo a capa de Esteros totalmente finalizada:





Quero apresentar-lhes o book trailer dos livros de Esteros, curtam abaixo o vídeo:
Book trailer Official, editado em 01/07/2012 com dedicatórias aos amigos.

  

Fantasia medieval - Os livros de Esteros - A Mitologia Esteriana.

Posted by Aldemir Alves da Silva

Boa tarde, amigos leitores,

Hoje irei postar a primeira parte da minha mitologia particular, sim, Esteros têm uma mitologia particular. ( Serão 4 partes, que virão como prefácio - no miolo dos livros a serem publicados, no decorrer da saga).  

Ao criar a minha saga de FANTASIA MEDIEVAL, a minha primeira ideia foi ser autentico, criar algo realmente meu, NOVO, Esteros nasceu com essa promessa. Sei que muita gente irá notar inspirações minhas, de coisas já existentes na nossa realidade literária e virtual, principalmente do RPG,  mas quando me refiro a "originalidade" digo; nomes, planetas, raças inéditas,  esporte, trama, História e etc. Isso ninguém poderá negar; que é uma originalidade...

Outra novidade sobre Esteros, será que os próximos capítulos receberão ilustrações do autor Junior Menezes, já posso adiantar: Os desenhos estão lindos!


A mitologia Esteriana.



Parte 1.

Existe uma lenda muito forte sobre o surgimento dos deuses, essa lenda é diariamente contada em todos os mundos e galáxias com vidas existentes no universo. Uma lenda tão convincente que é conhecida como a criação dos deuses, que chega também muito próxima de ser a verdadeira criação da vida.

    A vida é a herança dada pelo criador aos seus escolhidos, homens que deviam ter como as suas metas principais cultivá-las, mantê-las em perfeita harmonia e paz. Os povos que tiveram uma segunda chance ganharam como seu legado o direito de viver, um direito que também deveria ser semeado com o único propósito de ser a maior criação do supremo.

A lenda mais convincente:

  No começo do universo, antes mesmo de Nazebur e seus irmãos deuses dominarem esses planetas, existiu uma criação imensa de deuses imortais. Eram conhecidos como Os Místicos Anderdrais. Várias raças de diversas aparências que viviam em um paraíso chamado de Paramound.

  Eram milhares de povos de todas as raças e aparências, esse Paramound era um planeta gigantesco que cobria todo o vago universo. O grande planeta continha os elementos principais da vida que são; terra, água, ar e fogo. Não existia espaço vago no universo somente um único planeta gigantesco.

  Este lugar era lindo, a paz reinava incessante entre todas as espécies, ninguém podia morrer; o demônio da morte não existia a vida era para sempre. O Criador de tudo isso não se apresentava para nós como criador era somente uma criatura doce e bela, chamada de Supremo.

  O ser supremo andava sobre nós como um Deus doce e sincero, que se mostrava paciente e prestativo, colocando-se como um homem amoroso e fiel. “O amor do criador pela sua criação era tamanha, que não se abria brecha para que mal algum se manifestasse no paraíso”. Esse amor era retribuído por todos, maldades, mortes, inferno, destruições, sentimentos carnais e imundos, não existiam.

  O Paraíso foi habitado por milhares de anos por seres imortais, esses milhares de anos foram melhores do que o dia mais feliz de nossas vidas. Não dá para se comparar um dia feliz nosso; com um único minuto vivido no paraíso.

  O lugar ficou intacto por séculos, o criador querendo agradar a sua criação sempre buscava melhoras para seus filhos, com o passar do tempo começou a fazer modificações e assim melhorando a cada dia o local onde vivia com seus seguidores. Pensando em criar algo realmente perfeito, começou a nomear criaturas para poder ajudá-lo em sua administração. Seguidamente uma grande seleção foi iniciada, então o criador renumerou os seus mais próximos seguidores, dando a eles asas que seriam para que pudessem voar para assim chegarem mais rápido as criaturas necessitadas. Ajudando-as em palavras de conforto, mantendo todas as pessoas em um equilíbrio perfeito com o bem, evitando que o mal jamais brotasse na vida de nenhum dos habitantes do paraíso.

   Os seguidores tornaram-se criaturas de aparências chamativas, tendo como suas principais características as suas belezas avantajadas, como exemplo, os olhos azuis-claros como os céus, os cabelos loiros como as luzes do sol, a pele limpa e clara como as areias do mar. Todos eles também receberam novos nomes independentes e um único nome em particular, que os diferenciariam dos demais viventes do Paramound, agora eram chamados de Anjos.

  Esses anjos tinham um lugar privilegiado ao lado do criador, eram doze anjos, mas apenas dois tinham um grande destaque e seguiam de perto o seu criador. Esses dois com nomes de Soriom e Soriam que eram gêmeos. Criaturas belas de pele brancas e olhos azuis tinham uma missão importante no paraíso, pois guardavam as chaves dos sete pecados capitais.

Os setes pecados capitais:      
            
Avareza
Melancolia
Preguiça
Luxúria
Orgulho
Gula
Inveja
   
A paz na vida dos imortais só seria perfeita, se esses pecados continuassem trancados com as sete chaves do milênio, pois os pecados eram o lado mau da história da vida, se um dia alguém abrisse um destes baús sagrados, o pecado identificado por trazer seu male afetaria os povos. A partir deste pecado viriam as outras pragas que afetariam a vida, como por exemplo: assassinatos, roubos, traições, doenças, etc.

Os dois anjos Soriom e Soriam se mantinham firmes, cuidando dos baús sagrados com todas as suas dedicações a esse propósito, o criador por sua vez sempre os visitava, deixando claro que jamais os baús poderiam ser abertos, pois eram prioridades máximas, era preciso evitar que todos se aproximassem de seus conteúdos. Os anjos apesar de não possuírem a maldade e nem mesmo algum sentimento imundo diante de seu criador, começaram a imaginar o que poderia estar escondido dentro dos baús sagrados.

Com uma imensa simplicidade, olhavam os baús com um tom de amor e vontade de compartilhar com eles o imenso fardo que carregavam em seus interiores. Apesar de existir o lado mal que influencia tudo que existe com vida no mundo em geral, o mal às vezes pode ser um começo de um bem muito mal anunciado, esse mal transparente tem um nome específico; ele se chama ingenuidade.

Certo dia, os anjos tendo uma pequena vontade de conhecer os conteúdos dos baús, resolveram entre si espiar o que havia dentro dos cujos baús sagrados.  Então escolheram o sétimo baú que era o "orgulho". Vagarosamente, Soriom abriu um baú, somente uma pequena parte, tão pequena que seria similar à espessura de uma agulha de costura.

Primeiro Soriom espiou e nada viu, pois os baús aparentemente eram vazios, em seus interiores não continham nada, somente espaços vazios, Soriam ao espiar seguidamente se indagou e percebe que não havia mesmo nada ali. Só que o orgulho foi aberto, bastou uma pequena brecha dos anjos para que a inveja viesse depois do orgulho, depois deste dia os anjos começaram a invejar a supremacia do criador; junto as suas criaturas.

Com o passar dos dias, os dois irmãos planejaram uma rebelião contra o seu criador, muito devagar mostravam os conteúdos dos baús para os outros dez anjos supremos, que também se contaminavam. Totalmente dominados por tantas imundices; agora iriam tomar o paraíso. Os anjos tinham um plano terrível, que seria expulsar o deus soberano de seu trono.

Só que o supremo criador conhecia os sintomas do sétimo pecado e percebeu que o equilíbrio foi abalado, ao tentar argumento com seus anjos, houve uma grande rebelião no paraíso. Os anjos em ato de rebeldia, luxúria, vaidade, raiva e todas as outras pragas, carregaram até os baús às chaves milenares, usando todas as chaves abriram os baús por completo, fazendo com que todos fossem contaminados por esses males.

Depois desse dia Lucyer, o sexto anjo que agora era demoníaco, forjou doze pedras espirituais que passaram por um ritual macabro, um culto chamado de “o cântico dos anjos”. Inicialmente, as pedras seriam usadas para uma pré-rebelião contra o criador, pedras que seriam capazes de dar poderes aos anjos; misturando a magia negra com a branca, transformando-os em espécies de demônios poderosos.

Alguns possuidores das pedras obtiveram asas negras e outros ainda mantinham uma de suas asas brancas; de um lado, do outro estavam negras assim como as dos demais. E foi assim aonde surgiram os primeiros demônios do paraíso...

Totalmente contaminadas por promessas inalcançáveis, as pessoas daquele lugar começaram a reclamar com o criador, pediam melhorias no paraíso, questionavam as suas palavras, brigavam entre si tomavam as riquezas uns dos outros, extorquiam e matavam, muitos obtiveram habilidades demoníacas e começaram a serem chamados de demônios. O criador agora só teve uma saída; teria que destruir tudo o que criou, mas amou de tal maneira a sua criação, que teve uma última ideia.

Nesse paraíso existia um grupo de povos isolados, que serviam somente para agradar os imortais e servi-los em seus propósitos e vontades. Esses seres podiam ter filhos, se reproduziam, nasciam pequenas criaturas chamadas de “Crianças” que eram belas e puras, mesmo com os sete baús abertos o mal parecia não telas afetadas, ainda assim continuavam puras e amorosas.

 O criador dando uma última chance para a vida, juntou trinta dessas pequenas criaturas e deu a elas o Dom da imortalidade e, poderes sem igual. Ele as chamou de deuses. Esses pequenos ficaram guardados em pequenas bolas de energias, com eles pequenas sementes, que deveriam ser semeadas brevemente. Sendo plantadas brotariam vidas, que seriam os seus legados dali para frente.

Os pequenos deuses foram protegidos com o propósito de começarem novas vidas, em outros mundos que seriam criados brevemente, pois o criador destruiria todo esse mundo chamado de paraíso.

O criador com o seu coração apertado e angustiado, subiu em uma grande montanha, da parte mais alta do Paramound podia observar todos que ali estavam. Eles faziam farra, andavam pelados mostrando seus corpos, praticando orgias sexuais e gestos obscenos, mentiam uns para os outros e se digladiavam. O mal agora já dominava este mundo completamente.

 O Supremo, em ato de desespero chorou por todos os seus filhos, que agora eram rebeldes e ameaçavam o começo de uma rebelião incontrolável. Em ato de uma última circunstância lançou uma poderosa energia sobre o paraíso, que similar a um grande Big-Bang, explodiu tudo formando um grande universo.

 Os pedaços do paraíso foram lançados há distâncias gigantescas; formando espaços chamados de galáxias e Cordilhetes. Esses pedaços do paraíso que foram arremessados ao espaço, juntamente com as suas propriedades vivas, transformaram-se em hospedeiros de minúsculas criaturas, que foram chamadas de planetas, tomando formas diversas.

 Junto com esses grandes pedaços do paraíso nasceram sementes de plantas, misturando-se com água fez nascer pequenas vidas e jardins belos e enormes, recriando agora novos habitats; capazes de abrigar novas vidas inteligentes, que estavam para ser semeadas ali.

Todos os habitantes do paraíso foram mortos com a grande explosão, somente os trintas deuses se salvaram, foram arremessados para os grandes planetas de todas as galáxias, sendo liberados aleatoriamente de suas cápsulas tomaram os seus bens concebidos. Eles começaram a semear os planetas, fazendo com que surgissem vidas; “as vidas inteligentes” que foram chamadas de homens e mulheres, esses seres diferentes dos deuses não eram imortais.

Os mortais tinham o dom de se procriar, tinham a missão de povoar todos os planetas com as suas raças. Depois de viver intensamente suas vidas iriam morrer, voltando em outros planetas, obtendo a dádiva de viver feliz para sempre, e nunca se entediarem de suas existências.

Com o passar dos anos, os povos cresceram formando-se homens e mulheres adultas, no decorrer as populações também foram aumentando, só que uma coisa não estava perfeita entre os homens, pois haviam herdado todos os desejos e pecados vindos dos deuses.

 Eles só eram puros em fase criança, quando crescessem desenvolveriam os setes pecados capitais. Mas os homens também tinham um presente em especial, que podia diferenciá-los dos demais: a humildade. Os deuses deviam apenas cuidar para que eles nunca soubessem dos tais pecados, sendo assim não desenvolveriam as características maldosas dos seus ancestrais.

Depois de a grande explosão acontecer, as pedras espirituais foram usadas em outro propósito, pois Lucyer em um segundo culto, aprisionou os anjos rebelados dentro delas, em seguida, foram lançados ao espaço, alguns foram usados pelos deuses, que cresceram se formando homens ambiciosos, outros ainda vagam sem rumo ao espaço, mais seis deles foram lançados aos planetas e seguem sem memória, não se lembrando dos seus passados tenebrosos.

Depois da explosão tudo correu bem por milhares de anos, até o dia de Nazebur. Depois desse dia, todos nós sabemos o que aconteceu com os planetas e povos, então essa luta é para salvar os planetas que foram feridos em batalha, mas não mortos, eles ainda vivem; só depende de todos nós lutarmos por eles.



Ilustrações exclusivas dos livros de Esteros - Proibida à copia ilegal.

Fantasia medieval nacional - Os livros de Esteros

Posted by Aldemir Alves da Silva

Boa noite, amigos leitores!


Essa semana recebi um e-mail da editora, dizendo que a diagramação de; as Crônicas de Fedors, já se encontra finalizada, Esteros já está muito próximo de nascer, os blogs resenhistas podem ir se preparando, em breve estarei enviando os exemplares, dentre esses blogs, cinco receberão o livro para realizar sorteios, entre os seus seguidores. Os selecionados por mim foram; Junior MenezesMárcia Rios, SamanthaDébora Lima, e Daniel do rpgvale. Os outros estarão participando do book tour.

Alguns blogs ainda não me enviaram os dados de correios, precisam me enviar o mais rápido possível, para que eu monte a ordem de participantes, enviarei um documento com as informações e datas máximas, que deve ser seguida para leitura e resenha.

Também quero agradecer o grande interesse dos amigos leitores, pelo meu trabalho, em especial os do skoob, um portal que eu considero como importantíssimo na divulgação de uma obra. Quero deixar um pequeno pensamento meu, nesse inicio de jornada como escritor; "sei que ao iniciar a minha saga literária, a vida de escritor não me promete nada, não viabiliza sonhos realizados, tao pouco, promete-me fama, mas me reservo o direito de ser reconhecido como "escritor" já que lutei tanto por esse proposito".

Aos leitores que irão ler os meus livros, desejo que apreciem a história, que se divirtam com a audácia de Vamcast, sendo que o primeiro capitulo foca o nascimento do vilão e  sua trajetória rumo a tirania de seu mundo. O livro é do tema "Fantasia Medieval" destinada aos públicos "infantil e jovem" mas recomendados para adultos; fãs das criaturas mitológicas e histórias fantásticas.

Haverá um sorteio entre leitores aqui no meu blog também, fiquem ligados para participar, o ganhador levará Esteros autografado!

Desejo a todos uma ótima semana, que deus ilumine os seus caminhos!


wallpaper Official dos livros de Esteros - Papel de parede.

Posted by Aldemir Alves da Silva

Gente, tenho um presentinho pra vocês, o wallpaper Official de Esteros, criado por André Siqueira da era eclipse. Fica lindo de papel de parede no Win 7 e Xp, baixem a vontade e pode espalhar^^

O anjo Morteros.

Posted by Aldemir Alves da Silva

Olá, boa tarde leitores! 

Já faz um tempo, que não posto biografias e informações sobre os meus personagens, aqui no blog, pensando nisso; resolvi postar uma biografia sobre "Morteros" o mentor de Andor - uma peça principal na trama Esteriana. O anjo caído, a partir do livro 2° dos livros de Esteros, participará diretamente da história entre os irmãos Destrus. 

Morteros participou diretamente da rebelião no paraíso, vivenciou a batalha entre os traidores e o deus supremo, foi condenado a se tornar uma pessoa amarga de coração impuro, desenvolvendo uma asa negra de um lado, do outro ainda era um arcanjo. Mas após ser aprisionado no interior das pedras espirituais, teve a sua mente apagada - após vivenciar a explosão do universo - ao tocar o planeta Esteros; segue com amnesia, não se lembrando do seu passado tenebroso. Miguel o imortal, (filho de Homandir) o acolheu , aquebrantou o seu coração e junto a ele, formou uma sociedade a fim de aguardar a profecia maligna, que estaria para re-nascer em Esteros...

Morteros

O anjo Morteros:

 Outro ser vivia neste mundo com poderes inimagináveis, o seu nome era (Morteros).  Á história  desse homem é especial; realmente impressionante.   

- Morteros nasceu depois que as pedras espirituais foram banidas para o planeta, destinadas a serem usadas em uma guerra particularmente mortal. Por seres que poderiam ser mortos, mas quem se as possuíssem teriam os poderes supremos, destinados somente a deuses e demônios. Está guerra espiritual será contada em detalhes para o escolhido, que salvará o mundo da destruição.

- Morteros nasceu quando as pedras tocaram o solo de Esteros, eram seis no total e somente cinco delas foram usadas por mortais. O anjo era uma pedra usada em suporte pelos deuses, por exemplo: ele poderia ser usado como um ajudante poderoso em batalhas, primeiro era invocado seguindo em combate liberava as outras invocações em uma única batalha.  Que servia para equipá-lo ou ajudá-lo em combate, deixando-o ainda mais poderoso. Mas é claro que isto era opcional, se o possuidor das pedras preferisse, poderia invocá-las sem a presença de Morteros.
    
- Quando tocou o solo do planeta se alto invocou e criou vida própria, logo foi acolhido por Miguel, ambos formaram uma sociedade secreta. Uma *sociedade que buscava e treinavam guerreiros com o propósito de prepará-los para a verdadeira guerra contra o mal. (*A sociedade conhecida como a Sociedade dos Mordorks).

- Morteros vivendo em um mundo real aprendeu á amar a vida e cultivar a paz, a sua asa negra simboliza que um dia serviu o mal, mas sua asa branca significa também que já foi usado para o bem; agora fez a sua escolha, serviria a paz e o amor repudiando o mal, não podendo aceitar a morte de inocentes.

Esteros: novidades, noticias, capa, informações.

Posted by Aldemir Alves da Silva

As crônicas de Fedors – O inicio de uma saga.

Boa tarde, leitores!

Esse post é para apresentar-lhes o primeiro capitulo de Esteros, e compartilhar mais um pouco com vocês, a minha felicidade. Poder ver, o meu primeiro livro se tornar uma realidade é muito gratificante, não existem palavras que descrevam a sensação de um sonho realizado. Sendo um autor em inicio de carreira, eu sonho em poder agradar - chamar atenção dos amigos e leitores que estão interessados em conhecer a minha saga literária.

Não almejo fama, nem mesmo dinheiro, pois sei que ainda é preciso incentivar muito o nosso povo brasileiro - a aderir à arte da leitura, mas se Esteros agradar 50% dos leitores que estiverem entusiasmados a acompanhá-lo, estarei infinitivamente satisfeito.

Os leitores amantes da fantasia podem esperar uma narrativa bem descritiva nesse primeiro capitulo - já me disseram que as primeiras 50 páginas; até parecem um manual de tão detalhada - eu digo que é isso mesmo. O primeiro capitulo de As crônicas de Fedor; é o inicio de uma saga de cinco livros já escritos por mim, sendo que esses livros eram apenas um. Ex: O livro com nome de (O continente Naires) continha um total de 800 páginas, que dificultavam muito a publicação, pelo fato de – Aldemir Alves ser um autor aspirante, sem nenhuma obra publicada, qual editora aposta em um autor novato?

Visando a grande dificuldade em publicar, comecei a dividir os capítulos em partes – Na intenção de baratear a publicação – Esteros foi vendido em vários sites por demandas, até finalmente encontrar uma editora para publica-lo, depois de quase dois anos de luta, finalmente os sonhos se tornam realidade.

Por fim, uma publicação nunca é dádiva de uma pessoa só, muitos blogs e amigos literários fazem parte dessa conquista, dentre eles estão: Samantha do blog: Bibliotecaempoeirada, Junior Meneses Akelom, Jesimiel Caderno repicado, Lucas Justino Avila dos livros, Débora lima palavras que me distraem, e vários outros parceiros merecem o meu reconhecimento!  Posso afirmar que; as pessoas relacionadas à literatura em geral, são de bom álibi, existe um interesse geral em desenvolvimento e colaboração com a literatura nacional, essa união só serve para alavancar a nossa cultura, a globo-esfera nacional esta de parabéns pelo apoio ao autor brasileiro!


Abaixo estão às informações sobre a publicação, capa, sinopse, quantidade de páginas, ISBN, ETc.



Publicação - Editora Baraúna.


TÍTULO: Os livros de Esteros: as crônicas de Fedors


AUTOR: Aldemir Alves da Silva
Nº DE EDIÇÃO: 1
ANO DE EDIÇÃO: 2012
LOCAL DE EDIÇÃO: SÃO PAULO
TIPO DE SUPORTE: PAPEL
PÁGINAS: 250
EDITORA: EDITORA BARAÚNA



  As Crônicas de Fedors:


Capitulo 1.

   Um homem caminha solitário, sobre uma estrada longa e seca. O sol incessante castiga o seu corpo e faz arder seus pés calejados, de uma longa e árdua jornada. Para a sua alegria, contempla ao horizonte uma grande árvore de poucas folhagens, mas capaz de saciar o seu desejo por alguns minutos de descanso. Ao se aproximar, se assusta com uma figura encostada do outro lado da árvore.

O desconhecido aparentemente estava morto e cheirava muito mal, tocando com o seu cajado sobre o corpo empoeirado, o viajante sussurra algumas palavras:
- Hei você está bem? Hei senhor!

A figura sinistra move vagarosamente o seu rosto rumo ao viajante, sua face estava aparentemente toda queimada, parte do seu rosto eram apenas ossos brancos, respingados de pedaços de carnes apodrecidas. Um pedaço de pano sujo em trapos cobria o seu pescoço e corpo. Lentamente os seus olhos se abrem e, ele expele um gemido baixo e rouco:
- Hum, m...
Nesse momento pode se notar vários insetos voarem em todas as direções, abandonando o corpo da criatura imóvel e aparentemente em decomposição.

Salazar se assustando dá um pulo para trás, arregalando os olhos, pergunta ao desconhecido:
- O que é você? Como pode estar se movendo? Meu Deus.

A criatura movimenta lentamente o seu osso maxilar, repentinamente começa a dialogar com o viajante:
 - Desculpe-me a minha indelicadeza... Sente-se comigo e faça-me companhia? - Ao contrário do homem em sua frente, o ser continua sentado, aparentemente está cansado e tristonho, mas a sua voz é calma e doce.

O viajante senta-se ao lado da criatura sinistra, encarando-a fixamente faz uma pergunta em voz trêmula:
- O que houve com o senhor? Você me parece muito mal. - Enquanto diz tais palavras, se aproxima mais ao homem, enquanto observa suas feridas e escoriações.

A criatura sorrindo com muita dificuldade, movimenta a sua perna direita, se encosta sobre o tronco da árvore ao seu lado. Batendo a mão sobre uma formiga que estava sobre o seu corpo, pronuncia algumas palavras em tom de voz suave:
- A minha história é longa e muito dolorosa, também pode demorar muito tempo para ser compreendida. - Essa palavra já é dita em tom de voz alta e desencorajada, parecendo querer a desistência do curioso em sua frente, que nesse momento aparenta muito interessado em conhecê-lo.
O viajante se aconchega ao lado da criatura, retirando um pedaço de pão seco de sua sacola, diz ao estranho:
- O meu nome é Salazar, estou cansado da minha longa jornada rumo ao norte, tenho todo o tempo do mundo para poder ouvir sua história, sinta-se à vontade para dividi-la comigo. - Realmente Salazar pretende conhecer mais sobre a pessoa em sua frente, nesse momento o encara com firmeza, parecendo exigir mais informações sobre o recém-companheiro de solidão.

A criatura sorri novamente, enquanto levanta a sua mão direita, rejeitando o pequeno pedaço de pão oferecido a ele pelo viajante curioso. Lentamente redireciona o seu rosto em direção ao homem desconhecido, seguidamente começa a narrar a sua enorme história:
- Primeiramente o meu nome é Fedors, eu já tive outro nome, um nome forte e respeitado por todos no nosso mundo, já fui um membro da família Destrus.

- Mas o meu poder somado a minha inocência, me transformaram na criatura que sou hoje... Como eu disse antes a minha história é triste, de difícil compreensão. Mas antes de eu contá-la a você, preciso saber se realmente está disposto a ficar mais um dia em minha companhia. - Nesse momento Fedors leva os dedos aos lábios, e nos seus pensamentos ele parece implorar pela resposta positiva do seu novo amigo, querendo e desejando mais diálogo com alguém naquele momento, afinal não se sabe quanto tempo levaria para que outra pessoa cruzasse aquele caminho.

Salazar parecia ler os pensamentos da criatura, mas já estava embriagado pelas palavras do companheiro de prosa, então tratou de responder rapidamente a ele:
- Verdadeiramente, eu não tenho muita pressa em minha caminhada, ainda são muitos os meus caminhos a percorrer. Se tiver dúvidas sobre a minha permanência aqui, fique sossegado! Eu posso ficar mais um dia ao seu lado. - Agora Salazar deu o seu veredicto, ficaria ali e iria compartilhar a dor sentida pela criatura, que mesmo sendo horrível de aparência, era doce e sincera em suas palavras.

Um sorriso de felicidade é notado nesse momento sobre a face atordoada de Fedors, rapidamente ele agradece a companhia da pessoa sentada ao seu lado, seguidamente começa a dialogar novamente:
- Muito obrigado pela sua companhia, somente eu sei como é bom poder conversar com alguém nesse momento, contarei a você muitas coisas; algumas são tristes, outras são lamentáveis, mas todas elas são verdadeiras. Essa aparência horrível que eu me encontro nesse momento é o meu castigo, por aceitar a oferta tentadora de alguém já condenado na sua existência, mas isso ainda pode esperar, pois agora eu contarei tudo, desde o início da humanidade:

 Continua...

A capa de Esteros, autoria de André Siqueira.

Posted by Aldemir Alves da Silva

Boa noite gente!

Hoje estarei dividindo com vocês mais uma novidade; a capa Official de Esteros, criada por "André Siqueira" (eraeclipse) - Na minha opinião o melhor capista brasileiro da atualidade^^

Abaixo podemos observar a capa definitiva, gostei bastante dos detalhes; a natureza exibida caracteriza perfeitamente o mundo imaginado por mim, os pássaros voando livremente sobre os céus exuberantes, rios soberbos de peixes e vidas marítimas, montanhas enormes e inexploradas, e etc (tudo ficou perfeito). O personagem acima é Andor, o herói da trama; um jovem de 17 anos de idade, cabelos até os ombros, olhos escuros e a ingenuidade de uma criança de dez anos. A capa está linda!!!


A imagem abaixo está sem as orelhas, pois a editora colocará os textos e a minha foto de perfil; de autor, em breve posto ela completa!


Sinopse:

Surge um universo, e também um mal. Os povos vivem em paz e o criador cuida muito bem das suas "criaturas". Fatalmente o mundo precisou ser destruído, uma nova nação renasce dando origem aos seres mortais. Os mortais são um legado dado aos deuses, para que seja cultivado e viva em paz. A história começa após a discórdia que deu origem ao Big-Bang. Vamcast, um elfo de origens brancas, se mostra um rapaz tentado ao poder, e atrai o mal para a sua vida se tornando um demônio assassino. Seu irmão caçula se torna a única esperança do mundo. Ele terá que matar o seu próprio irmão em combate, e só assim libertar o seu mundo fadado à destruição. 

Feira do livro de Ribeirão Preto Sp, eu tava lá!

Posted by Aldemir Alves da Silva

Gente, semana passada teve a feira do livro de Ribeirão Preto, Sp. Eu sendo um Ribeirão pretano viciado em livro e cultura, não deixei de prestigiar o evento,  comprei os meus livrinhos^^ Na verdade o objetivo era comprar (Marcada a fogo, da autora brasileira Josy Tortaro) mas a feira estava muito cheia, os seguranças burros como sempre; não sabiam me informar qual era a estande n° 22 ^^


Comprei a Batalha do apocalipse do autor brasileiro - Eduardo Spohr, muito bom esse livro, estou lendo devagar e saboreando a história pré-apocalíptica - do Eduardo.












Comprei as Aventuras de Sherlock Holmes também, na verdade eu estava indo embora, vi o livro, não pensei duas vezes e voltei, gastei o restinho da grana^^












Espero poder estar na 13° feira do livro do ano de 2013, quem sabe estarei autografando alguns exemplares de Esteros por lá^^

Abraço povo, fuii!

Esteros livro digital

Arquivo do blog