RSS Feed

Biografia inicial de : Sobreviventes o toque da morte - Aldemir Alves

Posted by Aldemir Alves da Silva


Ola, bom dia! Hoje esse post, será para mostrar aos meus leitores o meu segundo trabalho em produção, no caso (Sobreviventes: O toque da morte). Sendo um escritor aspirante e contendo um apetite voraz em criar histórias, eu não pretendo ficar apenas com Esteros, pensando nisso; estou escrevendo outro livro, esse no tema mais Dark. Pretendo finalizar esse trabalho até o meio do ano, assim poderei apresentá-lo as editoras, quem sabe publicar...

Abaixo mostrarei um trecho do livro, a sinopse e uma biografia inicial, sendo que o livro se inicia em meia a ação, aonde o personagem principal sofre com surtos; de sua pré-loucura...

Depois de falecer; Marcus é escolhido pelos Ranoks, a partir dai se torna um membro dos cavaleiros sagrados, a missão é libertar os humanos das garras da escuridão. Siens são cavaleiros do próprio Lucifer, as suas intenções é corromper as almas humanas, em seguida montar um grande exército de assassinos, em seguida dominar os céus promovendo o domínio do paraíso. A trama no decorrer do livro me deu ótimas idéias. Na intenção de fazer algo diferenciado, inclui poderes aos cavaleiros Ranoks, dei a eles personalidades fortes, algo similar aos clássicos do mestre Stan Lee.

Sinopse:

Sobreviventes

Em o toque da morte Marcus é o personagem principal, o livro se passa na cidade de São Paulo e muitos acontecimentos inesperados mudarão a vida deste rapaz. Se existe vida após a morte ela não será boa para Marcus, pois existe uma guerra se travando entre os Ranok,s e Sien,s os inimigos imortais do submundo.

Os Sien,s são os inimigos da vida e planejam destruir os seres vivos, em seguida extinguir a raça mortal. Ranok,s são espécies de guardiões pós morte, lutam a favor do ciclo e mantém o equilíbrio do universo, Marcus deveria morrer como todos os mortais e ser julgado pelos seus atos no mundo dos vivos, mas inexplicavelmente alguém interferiu em sua história e mudou todo o seu destino, incertezas e lamentações serão o seu legado após esse dia...

O nosso protagonizado (personagem principal) foi escolhido pelos Ranok,s e terá que aceitar o seu destino, uma grande aventura vai se iniciar e o destino do planeta terra está nas mãos dos (Sobreviventes).

 
Biografia inicial - O inicio, ou o fim?
- Ola? Eu sou Marcus, e...  Há deixa pra lá, eu não sou muito bom em apresentações, me desculpa senhor (a), mas eu não era assim... Talvez o tempo me fizesse um monstro, ou talvez eu já fosse. A verdade é que eu não sei mais quem sou, eu mudei de todas as formas, para pior, ou melhor? Não sei dizer...
Louco? Não... Eu não sou... Apenas procuro por respostas, que  talvez jamais possam existir...
...Desilusão? Estresse estimulado pelas perguntas sem respostas? Instinto assassino?  Não! Sinceramente, não são esses os motivos de me fazer matar todos esses malditos demônios, eu não os mataria se me deixassem passar... O meu alvo é Lucyfer; o traidor. Eu preciso encará-lo, preciso saber o porquê de tantos sofrimentos, talvez hoje eu mate o próprio Demônio...
Após passar todos esses pensamentos em minha mente, atordoada pelo desastre ocorrido na vida de meus ex-familiares, eu explodi em fúria, o meu corpo havia sido rodeado por enormes feixes de luzes incandescentes, caminhei em direção a sala de sonolência e chutei com toda a minha força a porta branca, após derrubá-la deslizei sobre o corredor... Sucumbi sobre todas as portas em uma velocidade incrível, nem mesmo Haiko, podia me superar...
Depois de algumas horas, eu estava diante do portão negro, aquela era as moradias de todos os condenados que viverão as suas mentiras. Logo na entrada, eu vi dois guardas sobre os portões, em suas mãos carregavam grandes lanças de pontas douradas, tinham grandes asas como as de um grande morcego, rabos que lembravam a cauda de uma enorme cascavel, seus olhos eram avermelhados e os interiores eram amarelados; como os feixes dourados refletidos pelo ouro derretido. As prezas tão ameaçadoras, quanto às de um enorme tigre adulto.
Quando eu me aproximei, fui recebido com grande arrogância, talvez não fossem acostumados a receber visitas, mas quem ousaria invadir o inferno?
- Quem é você, estranho? – Pergunta a criatura apontando a sua lança em minha direção.
-Saiam da minha frente demônios, ou senão...
- Senão, o quê? – Pergunta a segunda criatura se aproximando a mim.
- Senão terei que matá-los! – Respondi sem muitas delongas.
- És louco estranho, por- acaso não sabe onde pisa? Quem o mandou? – Pergunta a criatura em tom de zombarias.
- Vim guiado pelo ódio e sofrimento que aqui se encontra, preciso falar com Lucyfer, talvez eu o mate! Mas vocês poderão viver se me deixarem prosseguir...
- Há, há , há, há... Matar Lucyfer? Mandarão um bobo da corte para nos divertir? – A criatura se diverte ouvindo as minhas palavras, enquanto abaixa a sua lança e aproxima seus olhos sobre mim, naquele momento fui tocado pela enorme língua expelida de sua boca, talvez quisesse sentir o sabor da minha pele, ou talvez pretendesse me intimidar?
Um colapso de sentimentos de sanhas tomou conta de mim naquele momento, então eu nem pude sentir o meu punho subir naquela velocidade, soquei o queixo da criatura com muita força, a lança voou e caiu cravada ao chão. Em seguida grudei o seu pescoço ainda no ar, finalizai com a sua vida; atravessando o seu coração com os meus próprios punhos.
A segunda criatura ao ver as minhas ações tentou fugir, mas deslizei em sua direção com a mesma velocidade em que atravessei os corredores das salas brancas, cravei a minha mão sobre a sua coluna, destrocei todos os ossos do seu corpo, apenas os restos cairão ao chão. Corpos, eram apenas corpos sobre meus pés, não vi mais nenhum surto de arrogância naquele local, talvez eu ainda os quisesse vivos, para que comentassem as suas próprias mortes, quem era o fraco agora?
Após matar os guardiões, derrubei os portões do inferno, o calor insuportante veio ao meu encontro, naquele momento tive a sensação de adentrar a uma caldeira efervescente. No meu caminho presenciei o sofrimento eterno, as almas estavam jogadas para todos os lados, homens choravam sobre meus pés, imploravam pela misericórdia, talvez me tivessem como um Deus...
Caminhei pelos corredores mais arrepiantes em já vi e minha vida, pela primeira vez havia sentido o medo após a minha morte... Ao longe avistei um trono negro esculpido por um barro de cor negra, o cheiro de enxofre vinha do rio de lava que o circulava, eu precisava atravessar ali para ficar frente à Lucyfer.
(Flapt, Crash!) Ao me aproximar, senti os estribos de meus ouvidos tremerem, o som insuportável vinha das correntes que seguravam o Demônio, que a me ver começava a ficar inquieto. Eu o encarava sem intervalos, estava enfeitiçado pelo pavor, que era expelido da grande criatura de forma horrível. Continuei me aproximando, nem sequer senti o calor das lavas que banhavam os meus pés, atravessei o córrego de enxofre em apenas alguns segundos...
- Quem é você? Como entrou aqui? – Gritava Lucyfer se dirigindo a mim...
Não respondi nenhuma de suas palavras... Quando fiquei frente a ele, toquei o meu rosto contra o dele, o demônio era horrível, a enorme cabeça de um bode continha seis chifres banhados a sangue apodrecido, os olhos eram negros como a escuridão sem fim, o corpo era humano, mas as garras eram de um gavião, o bafo quente expelido de suas narinas cobria todo o lugar com uma fumaça cinzenta, depois de alguns segundos quebrei o vinculo de silêncio.
- Não pode me intimidar com a sua horrível aparência demônio, pois os seus atos nos mundos dos vivos são ainda mais medonhos do que você próprio...
A criatura recuou o seu rosto sobre mim, com um pequeno sorriso respondeu as minhas palavras. – Eu posso ter várias formas, visitante, apenas me diga quais são as suas prediletas? – Nesse momento ele se tornou um anjo de luz; as suas belezas eram esplendorosas, os seus olhos eram azuis como os céus em dias ensolarados, jóias de todas as cores enfeitavam o seu corpo.
- Não viajei até aqui apreciar os seus truques, maldito! Reprimo o seu sorriso, dispenso a sua falsidade... Farei algumas perguntas, exijo as respostas corretas, talvez se colaborar comigo, pouparei a sua medíocre existência.
Hã? Hã, há, há, há, há... Você veio me matar? Então o faça todo poderoso! Não sabe o quanto, aguardo por esse dia...
Mas, ele não estava com medo de mim? Aquele sorriso malicioso que estampava o seu rosto era verdadeiro? Estou vivendo um jogo, mas quem sou eu nesse jogo, apenas uma peça de xadrez descartável? Quem são as torres, e a rainha, o peão?
(continua após alguns capítulos...)

Blog oficial: 
Livro no skoob:  http://www.skoob.com.br/livro/184714-sobreviventes

Fedors, Salazar e alguns segredos... (repostagem)

Posted by Aldemir Alves da Silva


Fedors X Salazar : Conhecendo os personagens iniciais


Boa tarde leitores e amigos virtuais, hoje eu vim postar mais uma biografia sobre os personagens de Esteros. Desta vez irei escolher dois deles, que na verdade são os mais intrigantes da trama por assim dizer, no caso são eles; Salazar e Fedors (o undead).  Salazar que é um personagem misterioso, conhecido como (o viajante desconhecido) se propõe a escutar Fedors o homem sofrido, que já foi um mortal há algum tempo atrás. Salazar seguia sua viajem solitária e pensou em descansar naquela árvore surrada pelo forte calor  Esteriano, mas será que ele encontrou Fedor por acaso?

Aham! O início da saga esconde uma questão intrigante de verdade, mas que será descoberta só no final. Posso afirmar que existem segredos imersos entre esse encontro inesperado. Salazar ao longo da história critica, vibra, e faz comentários sobre o sofrimento de Fedors, mas sempre se mantém anônimo sobre a sua origem. A insistência de não comentar algo sobre o seu passado irrita Fedors de algum modo, afinal se ele está compartilhando a sua vida com aquela pessoa, porque ele não faz o mesmo? (Intrigante não?).

Já Fedors guarda seu maior segredo para o final, a criatura narra à estória da família (Destrus), mas nada mais do que isso é revelado no primeiro capitulo. - Que diabos ele tem com a família de Mussafar?  - Esse é outro segredo imposto na trama que intriga o leitor. Você ai que já leu Esteros, sabe afirmar quem é Fedors? Há, há... Eu duvido que saiba!

Como escritor, tenho certeza que um bom mistério segura o leitor á serie, então se você gosta de uma leitura enigmática e cheia de misterios, aguarde, pois Esteros está a caminho...

Conhecendo a trama dos livros de Esteros

Posted by Aldemir Alves da Silva

Comentando com o autor; sobre Os livros de Esteros.

Boa tarde, amigos e leitores internautas, hoje estou postando algumas curiosidades sobre o meu livro, quero tirar algumas dúvidas sobre a trama também.

Esteros, na verdade é o nome do planeta; onde se passa toda a história narrada por (Fedors) o personagem inicial da trama. Criei e dei o nome (Esteros) ao livro, pois pretendo criar várias outras histórias sobre esse planeta, ex; Possuo um rascunho de uma história sobre o continente Íris, com o titulo de: Os livros de Esteros – O continente Íris. 

Esse livro sobre Íris, será mais infantil, algo mais parecido com Narnia.  Ao criar um planeta próprio, eu tive a ideia de que isso seria mais original, Ex: se alguém quiser conhecer os meus personagens, duvidar sobre a existência de Fedors, Andor, Vamcast entre outros. Terá que primeiro viajar até Esteros, e, se conseguir essa proeza, a partir dai, poderá provar se a minha magia é; realidade ou não, kkk. Entenderam o que eu quis dizer? É simples: enquanto a terra está recheada de Heróis, vilões e etc. Eu criei algo diferenciado, levei o leitor a lugares desconhecidos, vocês jamais poderão achar que Vamcast estará passeando na Amazônia, ou escondido em uma floresta secreta, em algum continente desconhecido na terra.  O planeta Esteros, tendo uma origem desconhecida por nós, tudo o que eu criei se torna “original” e particular da minha mitologia Esteriana.

Quem seria Fedors? Por que ele conta uma história, que não teve fim no primeiro livro?
É simples; Fedors é a peça chave na trama, esse personagem vivenciou uma grande tragédia na sua vida, a sua escolha o transformou na criatura que é hoje, um: (Undead ou Morto - Vivo). O livro se inicia com um encontro inesperado, a partir daí surge outro personagem “Estranho” Com o nome Salazar.

Mas Salazar surgiu do nada? Ele estava apenas passeando sem rumo, e encontrou Fedors, por acaso? – Eu Afirmo a vocês que Não! A trama surge primeiramente entre esses dois personagens, depois nos leva a Família Destrus, só depois daí; conheceremos Vamcast o vilão Esteriano. Vamcast nasceu de um erro, na verdade de um descuido paterno, aonde sem perceber; o pai do menino, o Rei Mussafar o abandonou a vida inteira, doando todo o seu afeto a Andor (O caçula da família). Esse descuido feriu a aura do menino, aos poucos Nazebur, o demônio que um dia foi um Deus, plantou uma semente em seu corpo, transformando-o em um Assassino impiedoso e sem amor até mesmo pela sua família. 

O primeiro Capítulo de Esteros, irá contar tudo sobre esse inicio de profecia, mostrará como tudo se deu inicio, como surgiu os Deuses, planetas, as raças, o lado mal da vida, e também contará em detalhes como nasceu (Vamcast o Vilão Esteriano).

Quando o leitor conhecer toda essa trama, pedirá mais; então eu trarei o próximo capítulo de Esteros, aonde Andor o caçula precisará lutar com toda a sua força, contra todos os tipos de inimigos inimagináveis, do tipo; Monstros mitológicos, o seu irmão rebelado, sentimentos fraternais, amor e ódio; pelo próprio sangue, dor e incertezas; por tantas revelações em meio a sua vida, triângulos amorosos; por se apaixonar por outra mulher, e várias outras tormentas que surgirão em seus caminhos...


E Fedors? E Salazar? – Bem, isso é uma coisa que deixará o leitor (Cabreiro) Em toda a história, eu tenho certeza que trarei a todos os meus leitores uma sede insaciável pelo desfeche dessa trama... Você duvida que possa se apaixonar por Esteros? 

... Então leiam, depois resenhe; eu terei o prazer de ler os seus comentários...

Um abraço, e fiquem com Deus!

Posted by Aldemir Alves da Silva



Boa tarde, povo lindo. Estou postando hoje a confirmação do meu contrato com a editora Baraúna, meu primeiro capítulo de Esteros, será lançado com eles, agora quem tiver interesse em ler a minha obra, fica ligado que terá pré venda. Estou muito feliz, pois sei que a qualidade de texto, diagramação e tudo mais; será feita por profissionais, chega de sofrer^^

Há, e também farei vários sorteios, e book tour. Blogs se preparem; pois vou receber 50 exemplares, para vender autografado e para realizar os book tours. Estou muito ansioso para ver meu livro em mãos, kk.

Capas para Esteros

Posted by Aldemir Alves da Silva

A capa será feita pela editora, mas ainda estou fazendo algumas para testar, quem sabe eu aprenda e faça a capa do meu próximo livro, né?

Nova capa:




Novidades e curiosidades de Esteros

Posted by Aldemir Alves da Silva

Boa tarde, leitores e amigos internautas. Hoje vim postar mais algumas curiosidades sobre Os livros de Esteros e suas culturas.

O planeta Esteros:

Talvez muitos não acreditem, mas existem várias galáxias e planetas além da nossa imaginação, um deles é o planeta Esteros. Esse planeta em média oito vezes maior do que o nosso planeta terra, está localizado na galáxia de Imprios.  Para ser mais exato á milhares de anos luz do planeta terra, em galáxias inexploradas por quaisquer seres vivos existentes nos mundos que conhecemos. 



Este planeta místico ao longo do tempo, foi composto e formado por elementos iguais o do nosso planeta (Terra).  Com as propriedades de água, terra, vento, ar, e etc. O planeta Esteros conta com muita vida e vegetação belíssima. Ele está entre outros três planetas na galáxia de Imprios.



Animais de várias espécies vivem em Esteros.



Diversas raças:

No planeta Esteros existe cinco raças de habitantes inteligentes. Entre elas só quatro é predominante do planeta.

Elfos – Predominantes.

 











Eracictos – Predominantes.













Orcs: Predominantes.

 








Morterestes – Raça desconhecida.











Anões – Predominantes.

 













As diferenças e habilidades básicas das espécies:



Apesar de os povos terem diferença em aspectos físicos e espirituais, é possível qualquer um se tornar muito poderoso, independente da raça, por exemplo: É possível tanto um elfo, ou um anão aprender uso de arcos e esgrimas, ou até mesmo o uso de magias brancas ou negras. Dependendo do seu caráter e sua criação, isto afetaria o seu destino.

Apesar de magias negras serem proibidas em Esteros, pode até se aprender tais habilidades. A capacidade de cada raça teoricamente é infinita, pois pode até mesmo um orc, ou eracictos se torna grandes guerreiros com domínios em ataques tanto com adagas e espadas.  Ou até especializar-se em criações de armas ou armaduras diversas. Muitos podem tornar-se exemplares criadores de espadas e armas místicas. (sendo assim encantadores de armas).

  Podendo manipular encantamentos com propriedades mágicas em seus ataques, podem ser elas propriedades de gelo, fogo, água, maldições e etc. isto também fundido em todos os tipos de armas de combate. As habilidades de cada raça podem torná-las ambiciosas e extremamente destrutivas, isso dependendo do seu caráter e da sua criação familiar.


As lendas:




O rei do leste, as antigas lendas:

Lótus, um elfo branco de muita sabedoria, sempre deu prioridade à felicidade em seu reino, ensinando seus seguidores a se manterem em suas moradias, cultivando suas necessidades, sem precisarem sair para buscarem os avanços tecnológicos dos vizinhos. O rei dava um grande valor às florestas e animais, então vivia em seu paraíso natural, vivendo preferencialmente com seus próprios artifícios, mantendo a sobrevivência dos seus povos de um jeito despreocupante e natural.

Bem naquela época, nenhum ser vivente em Esteros teria coragem de lutar contra o rei do norte. O seu poder era supremo, o seu reinado era perfeito, seu caráter era sem suspeita alguma. Com o coração puro e sem maldades; Mussafar só prezava a paz e o poder para o lado do bem.  Ele jamais virá o mal em seus pensamentos, o seu maior sonho era ver seus filhos tornarem-se grandes e poderosos reis.

As antigas lendas:


A diversão dos garotos mais jovens era escutar os mais velhos, sendo assim várias histórias de grandes batalhas, que eram contadas todos os dias para os jovens rapazes de Esteros. A família real do norte estava presente em todas as grandes histórias... Mas existia uma que se destacava entre todas as outras, a história da formação de uma (Aliança) cujo se originou a criação de uma arma indestrutível.

 Uma lendária espada, que seria empunhada somente por um guerreiro poderoso de coração puro. Só que em toda a geração de reis, seja de Esteros ou de todo o mundo, nem um deles jamais conseguiram empunhar a espada da aliança.  Seu poder supremo jamais foi testado; por qualquer ser mortal-ou-imortal conhecedores da lenda. A lenda da espada da aliança começa com a junção do sangue de quatro grandes reis de Naires.
                                  
Que são eles:

O Rei Do Leste.                    O Rei Do Norte.
O Rei Do Sul.                        O Rei Do Oeste.


A história começa com o medo da profecia, do surgimento de um ser maligno e extremamente poderoso que nasceria neste mundo. Esse homem seria o maior assassino em série de todos os tempos. Isso então pediu atenção imediata de todos os governantes de Naires.                                                    
A espada foi forjada com brasa ardente, naquele dia começou-se a criação da maior arma já feita no universo. Projetada e construída nos mínimos detalhes, foi forjada pelo maior forjador de todos os tempos. O tataravô de Vamcast, o rei “Maestros Destrus”. Que também foi uma lenda em Esteros.




Um selo foi formado naquele dia, o selo da aliança dos reis, foi cortado um pequeno corte nos braços de ambos os governantes, o sangue foi drenado o suficiente para que banhasse a espada. O aço ardente foi secado com o sangue dos quatro reis Esterianos. A espada tornou-se vermelha clara de tom sangue fumegante... Incrivelmente linda e mortal, diz à lenda que a espada seria capaz de ferir e matar até mesmo os deuses imortais.

Mas, apesar de existir histórias sobre a espada com o nome; (Mondraras Sangres)ela jamais foi vista depois daquele dia, o da sua forja... A espada então foi cravada por um ser imortal (mortrestes) em uma pedra com o nome de (a pedra das lamentações) que está no mundo dos mortos. A lenda diz; Se algum ser de mal coração tentar pegá-la, ficará para sempre prezo no mundo dos demônios e dos mortos.


O Esporte Esteriano:




A diversão: Os campeonatos de arenas.
               



      Como não se vive só de treinos, também em Esteros existia diversão, uma das mais populares era (o jogo da concentração) ou (Jogos de arenas) a diversão era certa.

Os jogos de arenas era o esporte preferido dos garotos de Esteros, similar a um estádio antigo romano, era colocado todos os jogadores em lugares fechados; aonde só acabava a partida quando houvesse um vencedor. Apesar de receber um nome forte como “Arena” este esporte tinha os seus artifícios para se tornar algo simples e não perigoso. Com um regulamento rigoroso e muito bem bolado, nunca houve um acidente que trouxesse a morte a nem um participante na história das arenas, essa com certeza é a paixão dos esterianos.

As regras eram as seguintes:

 Não poderia ser usada magia sobre qualquer outro adversário, quando o mesmo perderá os seus equipamentos, somente sobre os participantes com armaduras e armas especialmente criadas para arena. Essas armaduras eram criações dos eracictos e, tinham a função de absorver danos sem machucar o seu utilizador, as armaduras absorviam magias de curas “idem”.

     Os jogos de arenas se passavam em pequenas quadras, rodeadas por placas de titânio, o participante que era derrotado caia ao chão, ficando imediatamente imóvel.     

Quando aparecia um vencedor, automaticamente o teto se abria e o locutor anunciava o time campeão, assim começavam as comemorações e os gritos de alegrias.

Enquanto um grupo formado por cinco participantes tentavam tirar vinte mil pontos de vida dos adversários, com as suas habilidades preferidas, seriam elas tanto de espadas, flechas, espadas, magias, adagas e etc. O outro grupo teria que “curar” e manter o participante vivo por dez minutos. Eram permitidos sete participantes no total, dois curadores e cinco guerreiros atacando com armas.

Ninguém poderia abandonar a arena de jeito algum, ou o participante era eliminado imediatamente, seus parceiros teriam que seguir em combates sozinhos. Era muito divertido de se ver, era empolgante para todos tanto em modo infantil ou adulto. Às vezes davam disputas tão competitivas, que os participantes ficavam exaustos. 


Os avanços tecnológicos:

Como a viagem era muito longa, seria preciso um transporte próprio para viagens distantes, e sim, existia tecnologia nascendo com frequência neste mundo.  Os mais inteligentes e criativos eram os eracictos, como ótimos engenheiros; criavam muitas das ultimas maquinas dos esterianos. Os jogos iriam começar a apenas duas horas, preparando-se para assistir as finais Panderios fretou um transporte, que era um balão gigante com uma hélice enorme atrás, isto servia para movê-lo para frente.
Na parte de baixo uma carroceria amarrada, similar a uma carroça gigante, isso lembrava também uma concha gigante.  A geringonça era movida à combustão, podia viajar rapidamente de um lugar ao outro com velocidade aceitável. O grupo de alunos se preparou e partiu para a viagem, Andor estava muito feliz em poder ver o jogo de arenas, afinal o divertimento era certo.
Dirigindo-se para o ponto de partida, que era uma torre alta feita de madeiras, preparavam-se para a viagem.

Montarias:




Os grimos eram pássaros de estatura media, com suas enormes penas cinzentas e garras gigantes eram muito parecidos com uma águia ou gavião. Para um anão este animal servia facilmente como um meio de transporte rápido e eficiente.

O Grimo – fera; é uma espécie de leão alado, o corpo é totalmente peludo, a cabeça lembra as de um leão com dentes de serpente, asas enormes como as de um morcego adulto, o rabo longo como o de um grande camaleão.




Concepts arts e biografia dos personagens: 

Nazebur
 
Nazebur era um deus que devia ter como a sua meta principal, cultivar e manter as vidas mortais em perfeita harmonia e paz. Mas o deus se torna um demônio totalmente tentado ao poder, Agora a sua meta principal é destruir o legado, que um dia foi o seu maior patrimônio... 
Panderios
 
Totalmente reconhecedor de magias brancas e negras, este homem preza a paz, e mantém a sua lealdade para com o rei Mussafar, o mago que é uma peça principal no início da aventura, luta pela vida dos habitantes do seu mundo, sendo capaz de enfrentar e matar até mesmo o seu mais dedicado aluno, se assim for preciso...
Anaquel
 
A partir do Capitulo: O início da esperança, Anaquel segue Andor em sua jornada rumo a liberdade de Esteros. O pequeno homem é munido de grande coragem e luta até mesmo contra a sua própria facção, os anões rebelados...
Andor
 
Protagonizado como "Herói" O jovem príncipe luta pela liberdade do seu mundo, a sua evolução e dedicação ao seu povo, leva-o a enfrentar até mesmo o seu próprio irmão, para assim salvar o seu planeta fadado a destruição...
Angel
 
Filha de criados, a moça Angel vive um romance junto ao filho mais novo de Mussafar, o jovem príncipe Andor sente o seu coração disparado ao se aproximar da bela elfa branca do leste. Os garotos crescem juntos, e têm o seu amor abalado por tantas guerras entre os habitantes de Esteros, depois de um desastre acontecer na família real, só mesmo o tempo dirá como poderá terminar esse romance...
Fedors
 
Fedors uma criatura em plena decomposição, esconde um grande segredo sobre a sua real origem, o personagem misterioso abre o livro como sendo um dos narradores da história, se mostrando misterioso e sofrido pelo seu próprio passado. Após ser abordado por um homem ainda desconhecido, conta ao viajante uma longa crônica sobre a sua vida, até que um desfeche magnífico dará um sentido a toda a trama... 
Asmectros
 
Os Asmectros são discípulos guerreiros de Nazebur, demônios que buscam corromper e destruir as almas dos mortais, como sementes plantadas em um hospedeiro, se desenvolvem sobre o corpo do seu possuído, drenando as suas forças e vontades, até se tornarem o manipulador. Tornando-se totalmente um organismo vivo no planeta focado, podendo liderar um grande exercito de demônios, rumo a destruição e extinção do mesmo... 
Mussafar
 
Mussafar o rei do norte, pai de Vamcast e Andor, sempre prezou a paz em seu reino, mantendo a harmonia e convivência com os demais reinos de Naires, mas esse homem pecou em não ensinar a seus filhos, que existe um mal sobre todos os mundos, e esse, é o maior erro que um pai pode cometer...

Vamcast
 
Vamcast o príncipe mais jovem do norte, sempre foi um rapaz belo e de boa aparência, mas depois de ser descoberto por um Asmectro, com o tempo o seu corpo sofre mutações, a sua beleza já não existe mais, agora nasce um demônio capaz até mesmo de ferir os seus familiares...

Morteros: Morteros participou diretamente da rebelião no paraíso, vivenciou a batalha entre os traidores e o deus supremo, foi condenado a se tornar uma pessoa amarga de coração impuro, desenvolvendo uma asa negra de um lado, do outro ainda era um arcanjo. Mas após ser aprisionado no interior das pedras espirituais, teve a sua mente apagada - após vivenciar a explosão do universo - ao tocar o planeta Esteros; segue com amnésia, não se lembrando do seu passado tenebroso. Miguel o imortal, (filho de Homandir) o acolheu , quebrantou o seu coração e junto a ele, formou uma sociedade a fim de aguardar a profecia maligna, que estaria para renascer em Esteros... 
Vamcast abaixo criado pelo autor Junior Menezes.


Miguel o filho de Homandir:

 
Miguel o filho de Homandir
 
Miguel apesar de viver entre os seres deste mundo não era mortal, esse homem veio á esse planeta com uma missão especialmente secreta. Que deveria ser revelada apenas ao escolhido, alguém que irá combater um mal que outrora era desconhecido. Mas que agora se manifestou em Vamcast.
— Miguel quando foi destinado a viver em Esteros. Deveria manter-se anônimo e disfarçado entre os mortais. Assim o fez, até um dia conhecer uma linda moça filha de aldeões ao norte de Naires. A moça com o nome “Mazolita”.
— Está mulher seduziu o deus de tal modo, que ele se apaixonou perdidamente pela mortal, dando a ela dois filhos; “Morratiles” o menino que cresceu e deu mais três netos para Miguel: Natans, Zerus, Marronius. O segundo filho de Miguel, era “Domantris”, que deu a ele dois filhos: uma moça de nome Zoram e um menino de nome Nandir.
— Vendo Miguel que não era possível viver junto com a família de Mazolita, pois isto era perigoso para seu disfarce. Refugiou-se e fez moradia ao meio da densa floresta ao norte de Esteros. A floresta “Hylha” era gigantesca e inexplorada, suas moradias eram feitas em cima de árvores bem camufladas. Afinal eram escolhidas somente as árvores maiores e de bastantes folhagens.
— Aos seus netos e filhos; Miguel encenará que seus segredos deveriam ser mantidos secretos, se um dia se apaixonassem deveriam trazer seus companheiros para morar junto com a família. Apesar de os filhos de Miguel descender de um ser imortal, eles não possuíam o poder da “imortalidade” podiam morrer como todas as raças de Esteros.
— Só duas regras eram supremas entre os descendentes de Miguel, eles não poderiam mais viver juntos aos mortais, não em grandes grupos, os seus segredos jamais deveriam ser revelados, pois um imortal ou descendente, não deveria jamais participar diretamente ao destino de Esteros... 

 
Os treinos com magias, acontecem juntamente ao mago "Panderios". Acima podemos ver o mapa do acampamento.

Esteros livro digital